Esse texto é pra todas as mulheres que dizem que não precisam do feminismo. Antes de mais nada, já deixo claro que você não vai encontrar nenhum tipo de ofensa por aqui. Eu não quero te ofender de jeito nenhum, assim como eu não quero ofender nenhuma mulher independentemente de suas crenças ou ideologias. Esse texto é apenas uma tentativa de comunicação.

Primeiro eu quero dizer que eu te invejo. Tá surpresa? Eu tô falando sério, eu te invejo mesmo. Desde que eu conheci o feminismo eu não consigo me lembrar de um só dia no qual eu não tenha pensado “puta merda, eu queria não precisar do feminismo”. Numa boa? Descobrir o feminismo e entrar nesse movimento me fez enxergar a realidade de um jeito diferente, e isso acabou com o meu sossego.

Se eu já tinha medo de sair na rua sozinha, fiquei com mais medo ainda depois de estabelecer contato com tantas mulheres que já foram violentadas na volta pra casa. Se eu já tinha receio de ser assediada por um professor, um chefe ou um estranho que fosse, esse receio aumentou depois de ler tantos relatos de mulheres que foram assediadas em ambientes que julgavam serem seguros. Se eu já tinha medo de existir enquanto mulher nesse mundo, as visões do feminismo ampliaram meu medo.

Isso parece horrível, né? E até certo ponto é mesmo, mas preciso dizer que, além de escancarar o meu medo, o feminismo também me ajudou muito a aumentar minha coragem e a construir uma essência combativa dentro de mim. Nem tudo são flores e alguns choques de realidade são necessários pra gente entender melhor o mundo no qual vivemos e as pessoas com as quais convivemos.

Dito isso, me entristece um tanto ver mulheres dizendo que não precisam do feminismo. Na verdade, acho um pouco ingrata essa posição. É fato que, se estamos tendo a possibilidade de emitir nossas opiniões, devemos essa liberdade às mulheres que vieram antes de nós e pavimentaram o caminho da liberdade feminina, por mais que essa liberdade ainda não tenha alcançado o seu auge. É fato também que, se estamos tendo a possibilidade de nos movimentar politicamente, a favor ou contra alguém, devemos isso às mulheres que vieram antes de nós e pavimentaram o caminho do sufrágio feminino.

Aqui eu poderia apelar para as frases feitas “lacradoras”: “se você não precisa do feminismo, abra mão do seu voto então, porque o voto das mulheres foi uma conquista feminista”. Eu não acho pertinente usar esse tipo de argumento simplesmente porque lá atrás (num passado nem tão distante assim), na Nova Zelândia de 1893, o movimento feminista sufragista liderado por Kate Sheppard foi o primeiro a garantir o voto feminino, e estou certa de que essas mulheres jamais tentariam restringir esse direito apenas àquelas com quem concordassem ideologicamente. 

Eu nunca vou dizer para uma mulher desistir do próprio voto, por mais que eu não concorde com a sua escolha. Há pouco mais de 100 anos atrás, muitas mulheres literalmente MORRERAM para garantir o nosso direito de votar hoje. Para garantir o nosso direito de nos posicionarmos politicamente, inclusive a favor de um candidato e uma base eleitoral que diminui essas mesmas mulheres que lutaram pelos direitos políticos dos quais “usufruímos” hoje em dia. É por isso que eu acho um tanto ingrato dizer que não precisa do feminismo. Mas tudo bem, isso já vai da percepção de cada um.

Talvez, quem sabe, o que você realmente queira dizer é que você não precisa mais do feminismo. Para se ter noção, algumas das conquistas feministas que temos a chance de fazer valer atualmente são: o direito de estudar, o direito de votar e o direito a si mesma (até 1962 as mulheres brasileiras precisavam da autorização dos maridos para trabalhar ou receber uma herança, por exemplo). E mesmo assim, não são todas as mulheres que têm o privilégio de fazer valer esses direitos. Se você é uma delas, que bom! Fico feliz.

Mas será que isso basta? Quando você diz que não precisa do feminismo, você se sente mais segura? Quando você bate no peito e afirma não ser uma vítima, isso te impede de, efetivamente, ser uma vítima? Repudiar mulheres que lutam pelos seus direitos faz você se sentir alheia às estatísticas que comprovam a misoginia entranhada no nosso país? Dizer que não precisa do feminismo não vai te impedir de sofrer uma violência sexual, um assédio, uma violência moral ou uma violência obstétrica, dentre tantas outras… Se tem algo que nós, mulheres feministas ou não, temos em comum, esse algo é a chance de sermos violentadas pelas mesmas pessoas, utilizando os mesmos meios, para alcançarem os mesmos fins e objetivos.

Agora, se você ainda acha que o feminismo não é pra você e que você realmente não precisa de um movimento que reivindica direitos para as mulheres, tudo bem. A única coisa que eu te peço é: olhe além de si mesma. Você pode não precisar do feminismo, mas o mundo está cheio de mulheres que precisam. Mulheres que ainda não possuem acesso à educação, à saúde ou à dignidade. Mulheres que são tratadas como mercadorias, vendidas e prostituídas. Mulheres que ainda não podem votar ou que ainda precisam responder à autoridade dos maridos. Mulheres que não possuem o básico para a própria sobrevivência. Mulheres que são mutiladas, estupradas, violentadas e mortas simplesmente por serem mulheres.

O meu sonho, no final das contas, é viver num mundo onde o feminismo não seja mais necessário. Eu só acho que não chegamos lá ainda. E você? Você ainda acha que não precisamos do feminismo?