Me perguntaram como estou me sentindo. É como se a vida tivesse me engolido e eu estivesse me afogando aos poucos. Ainda consigo respirar, sabe? Mas com dificuldade, ofegante. É sentir a pressão da água te prendendo, limitando os movimentos, tudo requer um enorme esforço. Talvez até conseguisse chegar à superfície, mas me faltam forças. E a vista só dá pra baixo, não é como boiar, olhando o céu. É encarar o escuro do fundo do mar sem esperança de conseguir enxergar nada além daquele buraco.

Mas tenha calma, não precisa se preocupar, eu nem queria te falar nada, contei porque perguntou. Estou bem, mesmo, talvez seja exagero meu, entende? Nem sempre é ruim, alguns momentos eu sorrio, mesmo não sabendo bem o porquê. Saio de casa, converso com as pessoas. Sem prestar muita atenção no que se fala, é verdade, talvez isso não importe tanto.

Não se preocupe, estou bem. Talvez não devesse saber de tudo isso, mas foi você quem perguntou. Talvez falar em se afogar seja equívoco meu. É como…

åÉ como dirigir em uma estrada única em linha reta. Não se vê bem pra onde vai ou da onde veio, e o carro está no automático. A paisagem é estática, seca, monocromática. Não há nenhuma variável, nenhuma emoção. Às vezes chove até, e você se molha por completo, o carro atola. É como seguir um caminho sem saber porque e ter a sensação de que não foi escolha sua. O carro vai parando algumas vezes, o que deveria te preocupar, mas no fundo não lhe importa se chega, se fica ou se volta. É um enorme tanto faz, que às vezes piora, mas logo volta pro estado apático.

Estou te alarmando, eu sei. Não é tão sério, tenho certeza. Poxa, você quem quis saber, desculpa, não tinha a intenção de preocupar.

Mas foi você quem perguntou.

É, sim, talvez. Talvez seja depressão, sim. E talvez eu saiba, tenha certeza de que esse caroço na garganta não seja dissolvível com o tempo. Mas talvez a força das circunstâncias me assuste um pouco. Muito. Me assuste muito, e seja mais fácil manter a situação no campo hipotético. Chamar de talvez, de possibilidade. Acho que é normal, não? Quem não se assusta com a rigidez das certezas?

Claro, vou me cuidar. Fica tranquilo. Sim, desculpa te preocupar, eu só…

Desculpa, foi você quem perguntou.

 

Se você estiver batalhando contra a depressão, ligue 188.