Olá, queridos e belos leitores,

Eis que volto aqui, depois de uma longa jornada pelo mundo da auto avaliação e observação cotidiana, para trazer um post repleto de referências pessoais e verossimilhança. Afinal, se não for pra aprender e compartilhar, eu nem começo a escrever!

Vocês já devem ter percebido que a vida passa tão corriqueiramente que alguns hábitos negativos para nós mesmos acabam se tornando normais e fazem com que a rotina, que tinha tudo para ser linda, se torne um fardo cansativo. Aí lá fui eu buscar alguns conselhos e ideias para deixar a rotina melhor e assumo ter encontrado uma penca de coisas sobre o assunto, mas o que percebi que fez uma diferença  significativa foi na hora de pensar no que cortar do dia-a-dia.

Adicionar tarefas prazeirosas é ótimo, separar tempo para dormir mais e ler é um sonho lindo e realizável, mas que tal pensarmos não somente no que incluir, mas no que excluir também? Posto isso, decidi alavancar alguns dos principais pontos que deixavam a minha vida ou a vida de pessoas próximas a mim que depois de sanados e colados de lado, foram fundamentais para dar um up na vida.

1. Pare de se culpar ou culpar os outros pelas coisas que dão errado: esse aqui foi fundamental para aprender a aceitar melhor os erros. Experimentar, crescer, amadurecer e poder evoluir são processos. Aceite o erro como parte do processo e não como um carimbo de vergonha ou humilhação.

2. Não finja que está tudo bem: este aqui vai para aquelas pessoas que engolem sapo e estão com dificuldade de ver que não é necessário estar feliz o tempo todo para ser feliz. Se expresse quando as coisas estiverem boas e quando estiverem ruins também. Não espere a tempestade passar, porque senão os raios caem sobre você e ninguém saberá. Agora, isso não significa que você precisa ficar reclamando de tudo também, ok?

A imagem pode conter: desenho

3. Pare de ver tudo como um fardo: vai por mim, a vida vai ser bem mais leve se você conseguir ver as coisas se colocando do lado de fora da situação e vendo o plano geral. Assim, você vai ser capaz de entender melhor a situação que está e poderá trabalhar melhor as agonias. Por exemplo, enquanto eu tava escrevendo este post, uma senhora esbarrou na minha mesa e derramou o café em cima de mim. Faz parte. O café não estava quente ao ponto de machucar, vou ganhar uma xícara cheia e ela ficou super preocupada. O que eu poderia ter feito? Me rebelado? Xingado? Não vale a pena…

4. Não deixe seus planos em segundo plano:  às vezes, adiar nossos objetivos e vontades parece a opção mais fácil, mas com o tempo, quanto mais vamos deixando isso se tornar hábito, mais frustrante fazer as coisas para os outros parece. Foca no seu em primeiro lugar e depois sim você pode focar no do outro.

5. Pare de ter os outros como termômetro:  cada um tem seu tempo e sua hora. O seu progresso, seus sentimentos e suas vontades não podem depender de ninguém mais a não ser você mesmo. Ter referências e admirar pessoas é uma coisa, achar que você é inferior por não ter as mesmas coisas que essas pessoas é outra totalmente diferente. Use as pessoas ao seu redor como inspiração motivadora e não o contrário.

Por hoje isso é tudo! Espero que vocês tenham absorvido cada item como um conselho caloroso de um colunista que está tentando melhorar não só para os outros, mas para si mesmo. Vamos trabalhar juntos para cortar esses hábitos nosso cotidiano já!

Nos vemos nos próximo post, queridos e belos leitores!