De acordo com a  minha mãe, eu tenho uma vida boêmia. E talvez ela esteja certa. E mal sabe ela tudo que eu já aprendi pelos meus amados botecos do Rio de Janeiro. Muita besteira, com certeza, mas muita coisa interessante, digna de ser compartilhada. Então vamos à uma lista bem irreverente, onde aparentemente nada faz sentido, mas bastam uns 3 copos de cerveja pra tudo se encaixar.

Amy Schumer Bar GIF by I Feel Pretty

1- A teoria do ônibus

Esse foi no Águia em Botafogo. Estávamos falando sobre nos valorizarmos no amor e um querido presente na mesa me lança a seguinte filosofia (que eu carrego comigo sempre): “Quando o ônibus passa sem parar pra mim, tudo bem, porque eu posso pegar outro ônibus, mas o ônibus não pode pegar outro eu”.

2- A vida das borboletas

Saí com um biólogo uma vez pra um boteco em Jacarepaguá, e a melhor coisa que nosso encontro rendeu foi essa curiosidade: algumas espécies de borboletas, a maioria, vive apenas alguns dias.

Black And White Drinking GIF

3- A “água da casa” é carioca

Em um Boteco em São Paulo eu descobri que a lei da água da casa de graça (não me perguntei o cógido, advogados), que eu particularmente amo, é uma lei apenas do estado do Rio de Janeiro.

Broad City season 1 episode 9 beer drinking GIF

4- A tragédia em beber tomando antibiótico

Ela não existe. Minhas amigas médicas quebraram esse tabu pra mim, provavelmente em um boteco na Barra. O que acontece é que o fígado fica sobrecarregado, pq ele vai estar já ocupado com o remédio, ai se você beber alcool não ajuda. Mas não corta o efeito do remédio, como me ensinaram, só não é bom.

OBS: Existe um antibiótico que não é muito usado mas que NÃO PODE beber quando se toma ele, esse o nome: Metronidazol. Lembrando que eu não sou médica, tá? Pelo amor de Deus não se guiem medicamente pela jornalista aqui, viu? Essa é só uma curiosidadezinha.

broad city drinking GIF by CraveTV

5- A história de uma sociedade nos botões da camisa

Os botões das camisas masculinas e femininas não ficam no mesmo lado. Nas femininas, nos botões ficam no lado esquerdo, e na masculina do lado direito. Tive um encontro no bar da cachaça, na Lapa, com um historiador e ele percebeu que a minha camisa era masculina por esse detalhe, e ainda explicou o porque de ser assim. Antigamente, (ele disse quando, mas eu não lembro), botões eram caros, feitos de marfim e materiais chiques, então só os ricos tinham roupas com botões. Os homens se vestiam sozinhos, e os botões ficavam no lado direito da camisa. Mas as mulheres não. Tinham sempre uma empregada pra isso, então, pelas roupas não serem abotoadas por quem as está usando, eles o colocavam do jeito contrário ao dos homens. Até hoje as blusas são feitas dessa forma.

E as curiosidades de boteco de vocês? Comenta aqui, adoro quando cês compartilham comigo.