Sabe aquela sensação de ver uma roupa na vitrine numa loja da moda, entrar, vestir e sair feliz que vestiu perfeitamente bem no seu corpo? Eu não. Ou sabe a sensação de entrar num ônibus e passar tranquilamente pela catraca de lado, de frente, de costas, qualquer jeito? Eu também não.

Que a sociedade é gordofóbica não é novidade para ninguém, mas isso só reforça o quanto é importante o movimento de auto aceitação.

Ao longo da história da humanidade, o corpo ideal mudou diversas vezes, inclusive um corpo gordo já foi o ideal. Hoje em dia a gente se baseia no que vemos nas passarelas de desfiles de moda, as modelos magérrimas. O que ninguém contou é que essas mulheres foram escolhidas por um único motivo: o caimento da roupa nelas tem que ser igual ou parecido ao caimento em um cabide!

É óbvio e perceptível que as passarelas tem mudado um pouco e vemos mulheres com mais curvas e até não tão magras, como é o caso da Victoria’s Secret e suas Angels que começaram tendências que encontramos hoje de mulheres “curvys”, como são as Kardashians, super reconhecidas hoje em dia no ramo da moda (o que sinceramente não seriam há alguns anos atrás)

O que eu quero dizer com tudo isso é que mesmo com esse pequeno avanço, mulheres gordas como eu, não se sentem realmente representadas pela moda, e, uma vez que a moda dita as regras da sociedade, nos sentimos excluídas da sociedade.

Não é fácil encontrar uma roupa, não é fácil passar numa catraca de ônibus ou sentar confortavelmente em um assento de transporte público, não é fácil ter mil apelidos humilhantes porque seu corpo não é o que a mídia ensinou a ter, também não é legal ir no médico e ser taxada de doente por estar acima do peso, ou ver as pessoas usando o adjetivo “gorda” como algo ruim, pejorativo, que gorda(o) não pode ser bonita(o), te parabenizam por ter emagrecido porque é isso que todo mundo quer afinal, né?

E digo mais, a auto aceitação de pessoas gordas incomoda MUITA gente, como se gordos não tivessem o direito de se amar. Loucura né? Mas isso é assunto pra um outro post! Tá permitido se amar do jeito que você é, se amar é uma delícia!

Até o próximo post! ;)