Essa mania que todo mundo tem de associar comida boa a gourmetização não tá com nada! Às vezes, tudo que a gente quer é conhecer um rolê suburbano para comer, fugir do padrão e juntar a galera em qualquer canto. É disso mesmo que eu vim falar hoje: a famigerada Batata de Marechal, que há pouco tempo não era tão famigerada assim. Eu tenho uma baita sorte de ter quase um camarote pra batata mais querida do Rio.

Minha avó é moradora de Marechal Hermes há 29 anos e mesmo assim, eu só fui conhecer essa belezura há pouco tempo, quando eu, meu namorado e mais três amigas estávamos entediados, famintos e sem muita grana no bolso. A gente sabe que é sempre bom conhecer lugares novos, fugindo do óbvio e topar desde um super restaurante incrível, até os maiores street foods respeitados (e os não muito respeitados também).

No dia que fomos, era uma quinta-feira à noite e a gente enfrentou – pasmem – uma fila de 1h30, mas, olha, valeu a pena! Pouco tempo depois, fui descobrir que, naquela mesma semana, tinha saído uma matéria na tv, por isso a multidão fora do comum. A rua onde se encontra a barraquinha da Batata tem várias outras, que vão do yakisoba ao açaí, tem para tudo que é gosto. Mas especificamente aquela barraca estava um tanto quanto disputada (o que não é muita novidade).  É bom ressaltar que, inclusive, existem duas barracas de batata, mas a queridinha é a segunda, saindo da estação: a barraca do Ademar. Nela existem opções de preços que variam do tamanho da porção e da quantidade de acompanhamentos – que incluem frango à passarinho, bacon e linguiça calabresa. Vem tudo sequinho, inclusive a batata, e as porções são bem generosas. A gente pediu, é claro, a maior porção que incluía tudo e mais um pouco, e custou uma bagatela de R$ 30,00 (SIM!).

Conclusão: comemos bem, pagamos barato, e ficamos muito satisfeitos! Todas as porções são acompanhadas de potinhos com cheddar, catupiry e queijo ralado, é só pedir que eles acrescentam e não é pago à parte.

A única desvantagem é que não tem muito lugar pra sentar lá perto. A dica que eu dou é: cheguem mais cedo! Eles abrem de domingo à domingo, a partir de 15h. Vocês não vão se arrepender, mesmo!

Bom, dito isso, é claro que a gente já sabe que existem milhares de opções boas e baratas por esse território carioca maravilhoso, mas fica mais uma prova de que não é preciso ter muito, e nem estar nos mais populares lugares do Rio para extrair o que ele tem de melhor a oferecer!