Conhecer pessoas. Eu posso discorrer um texto com mil linhas sobre o assunto e tenho certeza que vai terminar com essa mesma conclusão. Não que você não deva ler esse texto, leia eu fiz (estou fazendo) com carinho e tenho certeza que vai te acrescentar em algo, nem que seja acrescentando vontade de viver essa experiência. O que em si já é uma grande coisa, ficaria feliz se pudesse despertar esse desejo em muitas pessoas. Não só de se hospedar num hostel pura e simplesmente, mas o de estar disposto de fato a conhecer pessoas. É que lugares como hostels são muito propícios para tal, afinal você vai estar dividindo quarto, cozinha e até banheiro com completos desconhecidos. E a melhor parte é que a grande maioria das pessoas não está ali apenas por ser uma forma barata de viajar, eles estão ali porque querem conhecer gente, interagir. São espaços de troca, onde o papo furado é livre e gastar o inglês enferrujado também.

Primeiro conheci um kitesurfer de uns 30 e poucos anos que adorava o Brasil e descobri que é possível viver metade do ano trabalhando em um resort de inverno no Canadá e o resto viajando o mundo na companhia do seu melhor amigo, um cão labrador, muito fofo por sinal.

Conheci também um Inglês um pouco ressentido do seu país de origem, ele dizia que Londres era sem graça, sempre cinza e que os ingleses eram um porre e reclamavam de tudo, por isso foi levar a vida no Marrocos. Bom, além de reclamar (claro) ele também elogiou o meu inglês o que me deixou bem feliz e mais cara de pau pra puxar assunto com pessoas aleatórias.

Por último conheci 3 brasileiros que apesar de não me ajudarem a treinar o Inglês e terem vindo dos mesmos costumes que eu me ensinaram algumas coisas interessantes. Entre elas, uma que eu vou levar pra sempre, “viver” o lugar que você está, experimentar tudo que aquele lugar único possa te oferecer, mesmo que seja algo totalmente diferente do que você está acostumado.  Aprendi isso depois de uma história engraçada sobre uma piscina comunitária na Alemanha, em que as pessoas só entravam se estivessem nuas e acabei tomando coragem de fazer algumas coisas que não teria feito antes e me geraram ótimas histórias a serem contadas.

Dá pra viajar só de escutar histórias de onde essas pessoas passaram ou vieram, através de conversas despretensiosas eu dei uma bela volta ao mundo e conheci realidades bem diferentes da minha. Poderia ficar por muito tempo escrevendo aqui os diversos caminhos que cruzei, histórias que escutei e vivi, mas acho que já cheguei no ponto que eu queria. Bom a dica do dia é não tenha vergonha de falar e escute o que as pessoas têm a dizer. O melhor que a experiência de um hostel ou de qualquer viagem pode te proporcionar é conhecer pessoas e aprender com elas. :)

giphy