Durante as últimas três semanas a timeline de praticamente todas as minhas redes sociais ficou dividida entre dois tipos de pessoas: as que estavam amando Game of Thrones e as que estavam odiando o caminho que a série estava tomando.

Eu particularmente resolvi esperar a temporada acabar para poder dar um parecer sobre o que eu achei e poder refletir sobre os acontecimentos (não que minha opinião seja a mais importante do mundo, mas vou compartilhar mesmo assim).

Game of Thrones sempre foi uma série reconhecida pela brilhante construção de personagens, a forma como ela conduzia cada um e nos fazia odiá-los ou amá-los era louvável. Além disso, é claro que os episódios super bem produzidos e dignos de cinema são uma característica marcante demais na série e algo que poucas conseguem repetir neste momento.

Porém, a questão dos personagens realmente era algo que me marcava. Em conversas com amigos, eu conseguia sempre listar o meu top de favoritos e o meu top de odiados. Nesta sétima temporada, nós tivemos menos episódios e como era a penúltima, as coisas tinham que começar a acontecer.

Na minha opinião, o erro está ai. Se é que podemos chamar de erro. A série precisava andar, os dragões tinham que voar, o público queria sangue, ação, guerra e principalmente morte.

Por conta disso, esta temporada dividiu tantas opiniões. Nós não vimos tantos diálogos impactantes como de costume, ou até mesmo cenas de diálogos que nós falaríamos “ah cara, não quero ver esse zé ninguém falando sobre o casamento de fulano e ciclana”. No fim, esse diálogo serviria para entendermos as coisas, lá no futuro…

Dava a entender que na cabeça dos roteiristas, as coisas já estavam esclarecidas. “Ok, espectador, você já sabe quem é quem, agora chegou a vez de terminar a série”. Mas não é bem assim. Nós gostamos de Game of Thrones por alguma razão. A série vinha batendo recordes de audiência por algum motivo. Vocês não podem simplesmente pegar o meu personagem favorito e fazer o que bem entender. Me explica primeiro, me diz quais são as razões para ele fazer o que está fazendo.

Parece que aqui, a pressa virou inimiga da perfeição e alguns fãs não vão perdoar isso. A sétima temporada de Game of Thrones deve ter sido uma das mais fracas da série e isso pode deixar uma marca no futuro.

(PS BEM GRANDE: Não vou comentar sobre tios que aparecem do nada para salvar vidas, isso daria um texto só)

Mas independente do que aconteceu muito rápido ou do que aconteceu rápido demais, a série entregou aquilo que a maioria já esperava. Estamos chegando ao fim de uma das maiores produções da TV. É impossível agradar gregos e troianos, Lannisters e Starks.

Só indico que você desfrute da última temporada da mesma forma que você desfrutou a série inteira. Encare Game of Thrones como ela merece e simplesmente se divirta. Deixe que os críticos e especialistas apontem os erros.

Em 2019, só cabe a você amar ou odiar. Conselho de amigo, ame GOT da mesma forma como eles amaram a gente.

Um beijo e até a próxima!