Atualmente, a alimentação tem sido alvo de debates e mais debates. Principalmente quando o assunto é veganismo. Vou confessar algo pra vocês: Eu nunca tinha parado para pensar nisso e sinceramente, não era algo que eu pretendia fazer, repensar meus hábitos alimentares estava fora de cogitação. Eu sou feliz com o que como (ps: eu como bastante, porque boca foi feita pra comer) mas isso mudou um pouco, principalmente quando eu vi “Okja”.

Primeiro, deixa eu falar um pouco sobre o filme em si. Afinal, estou aqui para falar de cinema né… “Okja” é uma produção da Netflix, dirigida por Jong-Ho Bong e produzida pela Tilda Swinton. O filme conta a história de uma nova espécie de animal criado em laboratório. A intenção é que estegigante animal seja a solução para a miséria do mundo, ou melhor, a solução para os capitais de uma empresa. Estes animais são espalhados pelo globo e depois de 10 anos, cresceriam e participariam de um concurso para eleger o melhor e mais bonito dos super porcos.

Até ai, “tudo bem”…

Porém, nós somos apresentados à Mija e Okja. Mija é uma garotinha que mora no interior da Coréia do Sul com o seu avô. Os dois só tinham um ao outro e viviam em uma imensa fazenda, cercados por montanhas e muito verde. Okja é o terceiro elemento desta família, que chega como um pequeno porquinho, mas depois vira o super porco que todos esperavam. Okja e Mija tem uma parceria de dar inveja a qualquer amizade que se prese. A menina e o big pig são inseparáveis e passam por inúmeras aventuras.

Com um tom de comédia no ponto certo, o filme te cativa desde o início. Até mesmo a vilã, vivida por Tilda Swinton, tem um tom caricato, o que faz com que o filme tenha o foco totalmente voltado para a questão das relações humanas e principalmente nossos hábitos alimentares. O filme parece algo que poderia muito bem ser produzido pelo Stúdio Ghibli.

Mas, voltando aqui para o meu assunto do texto, afinal, recomendo que você assista Okja, principalmente por esta razão: o filme vai te fazer pensar.

Como falei lá no começo, eu nunca tinha parado para pensar na forma como impactamos o meio ambiente. Porém, depois de Okja, eu parei para repensar o assunto e isso já é um grande avanço. Pode ser que assim como eu, você não mude seus hábitos. Mas o mais importante é que você pense no assunto. Se você fizer isso, já é um ganho e tanto. E o mais importante, espero que você passe a aceitar qualquer tipo de alimentação diferente da sua, seja ela vegetariana, vegana ou de fotossíntese, sei lá.

Okja é um filme intenso e ao mesmo tempo leve. Mas o que eu posso garantir é que ele vai te fazer refletir e isso, para uma obra de arte, já significa que o objetivo foi alcançado.

Até a próxima!