Olá, queridos e belos leitores do Blog Cariocando,

Se você está achando que eu vou falar do Bar do Nanam estão bem enganados, mas quem sabe num próximo post. Na postagem de hoje, meu foco, ouvidos e espírito musical estão voltados para o paranaense Nanan. Eu conheci o rapaz graças ao coeficiente mágico do YouTube que achou que eu fosse gostar dele e não é que ele acertou. Obrigado, tecnologia. Pois bem, gostei tanto que achei digno e justo compartilhar com vocês!

Resultado de imagem para Nanan musico

Depois que eu fui tomado pela voz nua e crua de Nanan, acompanhada de um instrumental rústico e quase que primitivo, eu precisei escrever sobre ele. Assumo que estou com dificuldades para definir o Nanan. Talvez por eu ser um rapaz urbano demais e estar acostumado com músicas mega sofisticadas, trabalhadas em estúdio com o máximo de edição, sintetizadores e voz “photoshopada”. Nanan é o oposto disso. Dele podemos esperar o contrário da artificialidade. Sua música tem um tom despretensioso, espirituoso e orgânico. Nanan é leve de se ouvir. Nanan, o próprio nome flui bem.

Não foi fácil achar muita informação sobre ele no YouTube, mas na sua página do Facebook dá pra gente entender o porquê da sua música ser assim.

Nanan, músico paranaense integrante do movimento Canarinhos Brancos, que traz no sorriso e nos passos a universalidade do som e da arte consagrada à Mãe Natureza. Ambientalista e luthier, conhecido internacionalmente pelo tema “Casa da Floresta”, Nanan tem difundido a permacultura na capital e litoral paranaenses, desde seu regresso do Hawai’i, em 2011. Reside na capital paranaense e atualmente integra os grupos Alohabana (rumba/son montuno), Cosmic Fever (Soul/R&B), e o grupo vocal da Orquestra Latino-Americana da Unespar.” – Facebook

Ainda mais interessante, não? Agora, por favor, querido leitor, clica logo no play para entender o que eu estou tentando dizer. Espero que vocês sejam transportados para um lugar lindo e leve.

Ate a próxima.