Quadros são a primeira imagem que vem a cabeça quando falamos de arte, eles são os protagonistas dos museus e exposições, mas com o passar do tempo alguns movimentos artísticos, como por exemplo, a Pop Art e a Arte Contemporânea, começaram a questionar os limites do quadro e de um possível aprisionamento da arte. Alguns recursos como, pinturas em alto relevo e rasgos nas telas foram utilizados para criticar o padrão estabelecido tradicionalmente.

Além disso, a posição dos quadros também sempre seguiu um padrão, normalmente, na altura dos olhos do observador, no caso o homem, que se posiciona de forma vertical no espaço, por isso utilizamos muito as paredes, que são planos verticais. E se mudássemos a perspectiva do observador? E se fosse possível horizontalizar essa visão? E se o chão fosse parede? Colocar quadros apoiados no chão está cada vez mais recorrente nos ambientes internos e pode ser uma boa ideia pra desconstruir a concepção clássica.

Quadros estilo escandinavo:

Há quem não enxergue poesia em deixar um quadro no chão, afinal isso exige uma dedicação para limpar, cuidado para não quebrar e não ter animais de estimação em casa, mas ainda sim você não precisa utilizar pregos (os aparadores e prateleiras cumprem com o seu papel de erradicar as marcas permanentes na parede). Isso também traz uma observação importante, vivemos numa época em que tudo muda muito rápido, logo, coisas estáticas não são práticas. Utilizando esses recursos conseguimos criar um objeto dinâmico, o seu quadro pode mudar de lugar quando você bem entender e a sua parede vai continuar sem marcas e furos.

Vale lembrar que tirar os quadros do seu habitat natural pode ser traiçoeiro, já que quadros no chão podem remeter a desleixo e bagunça, então é importante focar na organização do espaço e não exagerar no número de objetos. Outra dica para garantir a arrumação e a segurança da obra é tentar concilia-la com objetos que podem servir como apoio para ela não escorregar, como uma pilha de livros ou vasos.

b15dc650644878cd482e69f636706239

E se você pensou que só os quadros ficaram nos nossos pés, é porque se esqueceu dele, o queridinho dos narcisistas, o espelho. Ou seja, além de manter um clima despojado no ambiente, também acabou o drama de não ver se o sapato está combinando com o resto da roupa (um alô pra galera do #lookdodia).

espelho e vaso:   espelho com moldura de madeira reciclada - via Tessituras:

Pra quem está com a verba curta, uma dica legal é emoldurar posters de filme, fotografias de viagens e aqueles desenhos dos amigos talentosos. A sua casa vai ficar com mais personalidade e descontração, e pra quem adora procrastinar a ida a loja de molduras, vulgo a autora desse post, utilizar pranchetas como moldura é uma opção que vai contribuir para revolucionar os rodapés sem ultrapassar o orçamento.

As molduras muitas vezes são as protagonistas, portanto vale a pena investir nelas. Pra quem curte um ambiente mais minimalista e organizado, investir num padrão de molduras e paspatur é uma boa opção. Já quem quer chamar mais atenção pros quadros, misturar diferentes tamanhos e materiais de molduras garante espaços menos sérios e rígidos.

Just a glimpse at a cool apartment in Turku, Finland … the beautiful white Scandinavian style is...:

Espero que tenham gostado e até o próximo post!