Oi, pessoal! Tudo certo?

Vim aqui contar um pouquinho sobre o trabalho de uma artista multimídia que eu acompanho há um tempo e a-m-o! A Talitha Rossi começou grafitando pelos muros do Rio, Berlim, NY, Amsterdam e Paris. Hoje é representada pela Galeria LUHDA e tem no CV exposições no Rio, Londres, SP e Brasília. Seu trabalho questiona temas como: afetos, desafetos do universo feminino com estética lúdica e fetichista.

A novidade mais recente sobre a carreira da Talitha é a exposição CRUA ALMA FURTA-COR, que já tem local e data marcada. Acontecerá na galeria da Q.GUAI dia 27 de agosto, na próxima quinta-feira.

IMG_3924

Segundo ela, vivemos em tempos de vícios do imediatismo e wifi, e por isso questiona a anemia emocional coletiva e convida o observador à perceber o silêncio entre os sons e o poder do verdadeiro agora.

“Quando você vive o presente de forma plena, você se torna um ser transparente, translúcido, furta-cor. Essa transparência te faz sensível e aberto para conexōes extracorpóreas. A alma cura o corpo. O corpo respeita a alma.”

Em suas fotografias sobre azulejos, a artista apresenta a irradiação curativa através das cores do arco-íris. E sugere a cromoterapia como terapia.

ALMA

ALMA FURTACOR

Na série polaroid-psiqué, surge o 3×4 da identidade interior. A parte interna e invisível de cada um. Esta que segundo a artista, precisa ser alimentada e energizada constantemente.

POLAROID PSIQUE

Já em suas pinturas abstratas, aparecem poesias em alto relevo, delicadamente coloridas que acompanham ninhos de lã bordados sobre as telas.

poesia pintada 2

meu mim

ninho

Tudo muito lindo, mas com certeza será muito mais emocionante e energizante ver isso com os seus próprios olhos. Eu verei com os meus, e vocês?!

Parabéns pelo seu trabalho encantador, Talitha. Sucesso!

Beijos.