Todo mundo tá sabendo que domingo (5) rolou um evento super badalado em Nova Iorque, o Baile MET, do Metropolitan Museum, no Costume Institute, e contou com várias celebridades que amamos (e outras que não amamos tanto assim). Algumas optaram por vestidos ousados, com decotes e detalhes bem chamativos.

Outras já preferiram o estilo mais clássico, com cores sóbrias e longos comprimentos.

Pra ser bem sincera, não sei por onde começar, já que vi muita coisa linda e outras coisas que me fizeram sentir vergonha pela pessoa que estava usando. Mas enfim, escolho começar pelos acertos da noite:


Dakota Fanning me deixou de queixo caído usando esse Rodarte. Acertou em cheio! O preto contrastou com sua pele super branquinha e realçou ainda mais sua beleza.


Anne Hathaway, que já uma deusa por natureza, conseguiu se superar ao usar esse longo Valentino, abusando nas transparências e esbanjando charme com seu novo cabelo loiro (sim, eu adorei e super combinou com ela).


Rooney Mara e seu Givenchy branco marcaram o tapete vermelho. O batom ameixa conversou muito bem com o resto da composição!


Na minha opinião, Alexa Chung nunca erra em suas escolhas, e dessa vez não foi diferente. Apostou em um Erdem preto, que também tem bastante transparência e acertou em cheio!

Acho que deu pra perceber que escolhi 3 looks super parecidos, né?! Pois então, eu amo transparências e rendas. Quando ambas estão juntas, então…  Alexa Chung também lembra minha adolescência, quando eu queria ter o mesmo cabelo que ela e usar roupas parecidas, até aceitar minha condição de simples mortal e entender que nunca conseguiria chegar perto de me parecer com essa diva. Brincadeiras à parte, vou falar agora dos desastres do MET.


Alguém avisa pra Mary-Kate Olsen que pegar o roupão da avó e costurar a pele de 3 esquilos e uma raposa morta na tentativa de montar um look pro MET não foi legal? Não consigo entender qual foi a proposta dela ao usar isso num evento desse porte, fiquei seriamente preocupada querendo saber onde foi parar o bom gosto dessa menina. E mais: ela envelheceu uns 40 anos em 5 ou é impressão minha?


Miley Cyrus ou Johnny Rotten? Desculpa, gente, acho que confundi! A cantora já recebeu várias críticas desde que trocou suas longas madeixas por um corte à lá Ana Maria Braga, mas daquele jeito até que estava aceitável. Daí ela me resolve aparecer de princesinha do mosh no MET. Tô rindo pra não chorar. Tá certo que o tema do baile era “o movimento punk + alta costura”, mas não precisava levar tão ao pé da letra, né?!


Entendo que grávidas sempre ganham uns quilinhos e tudo mais, mas existem roupas que não deixam esses “quilinhos” em evidência. O gás aqui de casa acabou e eu pensei em chamar a Kim Kardashian pra ser o botijão, até porque já vem com essa capa maravilhosa. O vestido é Givenchy e é acompanhado por luvas e sandálias na mesma estampa.


Outra celebridade que levou o tema punk muito a sério foi Madonna. A diva do pop encarou o tapete vermelho com uma combinação bizarra de xadrez, com meia arrastão rasgada, e meia calça, scarpin rosa, correntes, cruzes, spikes e tachinhas. Não quero nem comentar sobre o cabelo senão fico aqui até amanhã.

Entre erros e acertos, vimos muita coisa linda e muita coisa bizarra, mas sempre foi assim e espero que não deixe de ser, até porque perderia a graça, já que o mundo da moda não foi marcado somente por momentos maravilhosos, não é mesmo?!

Bem, esse foi um pouquinho do que eu achei dos looks que desfilaram pelo tapete vermelho do MET 2013. Vocês concordam ou discordam? Opinem, comentem, critiquem!

Até a próxima,
B.